8 de abr de 2008

2008: ENTREVISTA COM A XUXA

1. Canal Extra – Você afirmou na sua primeira entrevista à revista que Sasha teria em você uma amiga. Como é a relação de vocês hoje?
XUXA – É uma relação de amizade e muito respeito. A melhor coisa do mundo, bom demais.

2. Você disse que temia mimá-la demais e que queria aprender a dizer não, para que ela desse valor às coisas. Você acha que está sendo bem-sucedida nesse sentido?
- É claro que faço de tudo para ver a Sasha feliz, mas quando eu digo “não” ela sabe que tem um bom motivo e não tem discussão. Os poucos “nãos” que digo são bem valorizados. Eu sempre mimei os filhos dos outros, é claro que iria mimar a minha filha! Filho não vem com manual de instrução, mas acho que tenho sido bem-sucedida. Por ser minha filha, ela é paparicada por muita gente. Tinha tudo para ser uma criança chata, mas não é. Sempre digo que ela já veio pronta.

3. Cite o momento mais especial na sua vida ao longo desses dez anos.
- Foi quando a Sasha disse “mãe” pela primeira vez. Todas as vezes que escuto: “Te amo, mãe!”. Os bilhetes, os desenhos… Todo dia é especial!

4. Como você define a Xuxa de dez anos atrás e a Xuxa de hoje?
- A minha vida se divide entre antes e depois do nascimento de Sasha.

5. O que mais lhe aflige hoje em dia?
- A violência.

6. Em sua opinião, o mundo mudou para melhor ou para pior na última década? Por quê?
- As duas coisas. Para melhor: o avanço da tecnologia ajudou a aproximar as pessoas e a divulgar idéias e culturas diferentes. Para pior: cresceu a falta de respeito entre os seres humanos.

7. Como você se vê daqui a dez anos?
- Com uma filha linda de 19 anos.

8. O que faz para manter a forma?
- Não estou tendo muito tempo Ra fazer ginástica e outras coisas para me cuidar, mas acho que minha alimentação é um ponto importante.

9. O que mais lhe incomoda e o que mais lhe agrada em seu físico hoje?
- Para me incomodar eu teria que ficar procurando, buscando corrigir aqui e ali, mas tudo em exagero faz mal. Faz mal à própria pessoa e a quem convive com ela. Há coisas em mim que eu gostava mais quando tinha 20 anos e outras que mudaram, e gosto mais agora.

Nenhum comentário: